Notícias

Estudantes recebem orientação sobre meio ambiente e mosquito Aedes Aegypti
Estudantes recebem orientação sobre meio ambiente e mosquito Aedes Aegypti

Ação ‘Mova-se, não deixe a água parada’ levou aproximadamente 114 estudantes ao Sest/Senat para participar das atividades

A Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) realizou nessa quarta-feira (28), em parceria com a Vigilância Epidemiológica, por meio do Programa de Combate à Dengue do Setor de Zoonoses, Serviço Social do Transporte (Sest) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), a ação ‘Mova-se, não deixe a água parada’.

O evento ocorreu na sede do Sest/Senat, em Criciúma. Aproximadamente 114 estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dionízio Milioli participaram de atividades de orientação e conscientização sobre o ecossistema e o mosquito transmissor da dengue, Aedes Aegypti.

Segundo o responsável pela Educação Ambiental, Unidades de Conservação e Arborização da Famcri, Eduardo Luzzi Damassini, foi realizada também uma palestra sobre separação de resíduos e reciclagem, plantio de mudas frutíferas e um teatro com fantoches, intitulado ‘Reciclando para o Futuro’. “Esse tipo de parceria é importante para que os cidadãos, desde pequenos, entendam a importância da preservação do meio ambiente”, explica Damassini. 

A ação também contou com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e do Programa Saúde nas Escolas (PSE). “Parcerias como essa são de fundamental importância para a ampliação da educação ambiental dentro do município”, conta a presidente da Famcri, Anequésselen Bitencourt Fortunato.

Combate à dengue

Além de atividades voltadas à preservação do meio ambiente, os estudantes participaram de uma caminhada promovida pelo Setor de Zoonoses da Vigilância Epidemiológica, por meio do Programa de Combate à Dengue. Durante o passeio, os alunos foram orientados pela médica veterinária e responsável técnica do setor, Natália Reche, sobre a importância de eliminar água parada dos reservatórios para evitar a proliferação do mosquito da dengue.

Ao final do passeio os alunos receberam do Sest/Senat um lanche e uma semente ‘mágica’, para que pudessem colocar em prática os ensinamentos recebidos. “Eu dei o nome para a minha plantinha de Luizinha. Eu gostei muito do passeio, aprendi muitas coisas como não deixar a água parada e como reciclar o lixo. Vou poder ensinar para vários amigos como se faz”, conta a aluna Fernanda Medeiros, de 10 anos.

voltar