Notícias

Após denúncia, Famcri realiza retirada de lixo do Rio Criciúma
Após denúncia, Famcri realiza retirada de lixo do Rio Criciúma

Considerada crime ambiental, infração pode gerar multa de até R$ 50 milhões

A Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), realizou na tarde desta quinta-feira (24), a retirada de entulhos depositados no Rio Criciúma nas imediações da Praça Nereu Ramos, região central da cidade. Na maior parte, isopores e embalagens de eletrodomésticos. A fiscalização aconteceu depois de uma denúncia.

Três colaboradores da Famcri, com auxílio de escadas, realizaram a limpeza no local de difícil acesso. Grande parte do lixo foi retirada, mas a fundação continuará em alerta para recolher partes que possam ter sido levadas pela correnteza.

De acordo com Valmir Gomes, fiscal da Famcri, o próximo passo será abrir uma investigação. A pessoa ou estabelecimento poderá responder por crime ambiental junto ao Ministério Público, além da aplicação de multa, que varia entre R$ 5 a R$ 50 milhões. “Várias lojas na área central trabalham com eletrodomésticos. Vamos retirar e analisar o código de barras ou algum outro indicativo para descobrirmos o infrator”, detalhou o fiscal.

Causa de alagamentos

O depósito de lixo em local inapropriado é um dos principais fatores que ocasionam cheias e alagamentos, principalmente com as tempestades de verão. “Com a chuva, esse material vai represar e dificultar a vazão das águas, com certeza, gera sérios problemas”, reiterou Gomes.

A presidente da Famcri, Anequésselen Fortunato, lamentou que atitudes como essa sejam praticadas em pleno ano 2019. “Nós tentamos de todas as formas conscientizar as pessoas, o governo trabalha para criar estruturas que minimizem os impactos das chuvas, mas ainda assim acontecem situações como essa. A Famcri irá tomar as providências cabíveis para apurar este crime ambiental”, reafirmou a presidente.

voltar